Oito fraudes que escondem patrimônio de credor ou Justiça

Nos noticiários, vimos tantas fraudes para esconder o patrimônio fruto de crimes, evitar que os bens sejam retomados pela Justiça, fugir do Fisco ou até de dívidas milionárias.

Há muitas “táticas” para blindar patrimônio, mas oito são mais comuns, segundo Aldo Moscardini, diretor jurídico da Localize. Segundo ele, muitas vezes os recursos e ferramentas usados são legais, mas podem ser consideradas fraudes se ficar comprovado que o objetivo é esconder patrimônio. Confira:

1) Divórcio ou separação total de bens

É uma das práticas mais comuns usadas pelos fraudadores, de acordo com Moscardini. Para ocultar seu patrimônio, a pessoa se separa (apenas no papel) e passa os bens para o marido ou mulher, que está com o nome limpo.

2) Doação ou transferência para familiares

Nesse caso, a pessoa transfere seus bens para familiares ou empresas da família. “Tendo em vista a possibilidade de perder os bens, eles [fraudadores] fazem a doação”, afirma.

Assim como o divórcio, Moscardini diz que esse é um recurso frágil por causa da proximidade entre as partes, já que são da mesma família, facilitando comprovar a fraude.

3) Uso de ‘laranjas’

O fraudador usa pessoas que não são de sua família (o chamado “laranja”), para transferir seus bens, simulando uma operação de compra e venda comum, e evitando que seu patrimônio seja penhorado ou apreendido.

Para comprovar o esquema, é preciso mostrar que o comprador (o laranja) não tinha condições financeiras para adquirir o bem, ou que ele foi vendido a um valor muito abaixo do praticado no mercado, por exemplo. É mais difícil de ser detectada pois o laranja não tem proximidade direta com o devedor

4) Criação de holdings patrimoniais

As holdings patrimoniais são empresas criadas para administrar imóveis de um grupo empresarial ou familiar. Elas são permitidas por lei e apresentam vantagens tributárias para as empresas, mas, em muitos casos, são usadas puramente para esconder patrimônio, com o fraudador transferindo seus bens para ela.

No caso de calote, se essa transferência é feita depois que a pessoa já fez a dívida, isso pode configurar uma fraude, afirma Moscardini.

5) Transferência de cotas ou ações

Ocorre quando a pessoa transfere suas cotas ou ações para outras pessoas (muitas vezes familiares) para evitar que suas participações em empresas sejam penhoradas na Justiça, mas são fáceis de ser detectadas.

6) Sucessão operacional de empresas

Essa é uma fraude usada para burlar a Justiça em caso de empresas que estão endividadas. Geralmente, cria-se uma ou mais empresas novas, e elas assumem as operações e negócios da companhia devedora, mas não assumem as dívidas.

7) Alienação fiduciária e hipoteca de bens

A alienação fiduciária de bens é uma alternativa usada para conseguir empréstimos, dando o próprio bem como garantia ao credor. A hipoteca é semelhante, mas o bem não é transmitido. Ambas são práticas legais, porém são consideradas fraude quando realizadas após o endividamento.

8) Criação de offshore e paraísos fiscais

A criação de empresas no exterior, chamadas offshores, é permitida por lei, mas serve também para cometer fraudes. São formados por empresários mal-intencionados e transmitem a elas o controle das empresas do grupo endividado, ou transferem o dinheiro fruto de crimes para lá.

 

+ Receita Federal investiga mais de 2,1 mil brasileiros com imóveis não declarados em Miami

 

Fonte: Economia Uol

Imagem: Designed by jcomp / Freepik

Comece 2018 com a restituição do seu Imposto de Renda

Primeiramente, você sabe o que é restituição de imposto de renda?

Basicamente, ele constitui-se de valores que devem ser ressarcidos ao cidadão após a declaração quando constatado que já foram pagos valores maiores do que os devidos para a Receita Federal. E isso acontece todo ano após a declaração.

Então, se o contribuinte começar a se planejar, reduzirá as preocupações com erros e possibilitará que se recupere mais dinheiro na restituição.

Normalmente, a restituição é creditada automaticamente na conta do contribuinte, quando esta é informada no momento da declaração. Caso a restituição não ocorra, o contribuinte deve buscá-la pelo site da Receita Federal quando o lote correspondente da restituição sair.

Mas há alguns detalhes que podem te ajudar a aumentar os valores a serem recebidos:

1 – Guardar documentos

 Essa é uma ação simples, pois basta guardar adequadamente os documentos, como por exemplo, despesas médicas, odontológicas, instruções, pensões alimentícias judiciais. .

2- Previdência Privada

O plano de previdência privada pode ser utilizado como, mas é importante deixar claro que isso só ocorre quando é feito no modelo PGBL, em um limite de 12% do valor tributável total, antes de qualquer dedução.

3 – Doação

Essa é pode ser uma forma de utilizar o dinheiro que paga de imposto para ações que trarão benefícios sociais, mas somente para quem faz a declaração completa do Imposto de Renda. O limite é de 6 % do imposto de renda devido é para as destinações aos fundos de direitos da criança e do adolescente, as doações e os patrocínios para projetos enquadrados como incentivo a atividades culturais, artísticas e incentivos a atividades audiovisuais.

4- Empregada doméstica

Quando o contribuinte possui empregada doméstica, é importante registrar, sendo possível lançar os valores pagos ao INSS. Com o valor podendo ser pago diretamente do imposto a pagar.

5- Preenchimento do Rascunho do IR

O rascunho pode ser preenchido por meio de um aplicativo disponibilizado pela IRPF. E isso pode ser feita durante todo o ano e não somente quando abre o período de entrega, assim evita os riscos de cair na malha fina.

6- Dependentes

Muitas vezes não se pensa que pai e mãe, dentre outros casos, podem ser dependentes, podendo abater as despesas com assistência médica.

Este caso deve ser avaliado previamente, sendo que os rendimentos deles serão somados em sua declaração e poderá aumentar a sua faixa de tributação.

 

 

Fonte: Confirp

Imagem: Designed by schantalao / Freepik

A Planned separou 6 principais mudanças no novo Sistema Nacional

Em 2018, já no primeiro dia do ano, entram em vigor as regras do Novo Sistema Nacional 2018, alteradas pela Lei Complementar nº 155/2016. Isso impacta principalmente as pequenas empresas em relação às novas atividades, limites e regras.

É importante ressaltar que, assim como a Planned, é necessário ter muita atenção nos cálculos para ter a certeza de que esse é o regime tributário mais vantajoso para a sua empresa.

1 – Parcelamento da dívida com prazo máximo de 60 para até 120 meses:

Os valores mínimos de cada parcela foram estipulados em: R$ 300,00 para Microempresas e Empresas de Pequeno Porte e R$ 20,00 para Microempreendedores Individuais – MEI;

2 – Novo teto:

A partir de janeiro de 2018, microempresas e empresas de pequeno porte aumentará o teto anual de R$ 3.600.000,00 para R$ 4.800.000,00.

Já o MEI – Microempreendedor Individual passará de R$ 60 mil para R$ 81 mil (de R$5 mil para R$6.750,00/mês)

3 – Reduções de faixas e novas alíquotas

Nese novo formato do Simples Nacional haverá duas mudanças; a primeira é o número de faixas que é reduzida de 20 para 6.

Além disso, há alterações na formula de cálculo:

RBT12 = Receita bruta acumulada nos doze meses anteriores ao período de apuração;

Aliq = Alíquota nominal constante dos Anexos I a V desta Lei Complementar;

PD = Parcela a deduzir constante dos Anexos I a V desta Lei Complementar.

É importante ressaltar que a fórmula não se aplica em todos os casos, por isto é importante pedir ajuda de um especialista.

 4 – Reduções no número de tabelas e alíquotas

Essa é uma das mudanças mais importantes, pois houve redução do número de tabelas de 6 para 5: um para comércio, um para indústria e três para serviços. Para maior compreensão e atualização, veja  aqui  as tabelas feitas pelo Blog Conta Azul.

5 – Novas atividades

Confira as novas atividades que foram enquadradas no Sistema Nacional.

-Indústria ou comércio de bebidas alcoólicas como: micro e pequenas cervejarias; micro e pequenas vinícolas; produtores de licores e micro e pequenas destilarias desde que não produzam ou comercializem no atacado.

-Serviços médicos como a própria atividade de medicina, inclusive laboratorial e enfermagem; medicina veterinária; odontologia; psicologia, psicanálise, terapia ocupacional, acupuntura, podologia, fonoaudiologia, clínicas de nutrição e de vacinação e bancos de leite.

-Representação comercial e demais atividades de intermediação de negócios e serviços de terceiros;

-Auditoria, economia, consultoria, gestão, organização, controle e administração;

-Outras atividades do setor de serviços que tenham por finalidade a prestação de serviços decorrentes do exercício de atividade intelectual, de natureza técnica, científica, desportiva, artística ou cultural.

6 – Investidor Anjo

Primeiro, vamos explicar o que significa o termo investidor “anjo” ou investidor informal, o qual é a figura que Investe recursos financeiros em startups, pequenas empresas ou em empresários, porém sem a necessidade do ingresso no contrato social como sócias administradoras isentando as mesmas dos riscos em relação a dívidas do empreendimento que caberá somente aos sócios.

 

 

Fonte: DNA financeiro e Blog Conta Azul

Imagem: Designed by snowing / Freepik

Como é importante as empresas terem um balanço patrimonial

O balanço patrimonial é considerado uma das demonstrações financeiras mais importantes de uma empresa. Ele evidencia a posição patrimonial e financeira de uma organização num determinando período, guiada por aspectos qualitativos e quantitativos (bens, direitos e obrigações).

Com o documento é possível analisar os índices econômico-financeiros de uma companhia, como também identificar se a companhia tem muito ou pouco dinheiro disponível em caixa ou se deve demais.

Toda empresa tem que ter essa demonstração contábil na ponta do lápis, pois só assim ela consegue ter uma base para organizar o fluxo de caixa.

No balanço, é possível trazer detalhes de todas as entradas e saídas de recursos, permitindo a descoberta das obrigações de uma empresa e os valores que ela tem a receber e a pagar em um determinado período.

Também é possível analisar o crescimento do patrimônio de uma empresa. Apenas colocando um pente fino sobre o fluxo de caixa não há como ter uma visão ampla desse panorama econômico.

Em suma, toda empresa que se preze tem a obrigação de ter um balanço patrimonial. As informações têm que estar claras, para haver transparência tanto interna como externa. Especialistas em contabilidade são mais do que necessários para ajudar na formulação do documento.

4 pontos para entender a importância da contabilidade para as empresas

Há muitos fatores que permeiam a abertura de uma empresa, sendo que uma das coisas mais importantes para o bom andamento dos negócios é ter a contabilidade em dia.

A contabilidade se torna necessária para qualquer empresa, independente do porte, segmento e da forma de tributação. Através dela, as companhias visualizam o valor de seus ativos, passivos, receitas, custos e despesas, a rentabilidade e lucratividade do negócio e a produtividade da mão de obra.

Tudo isso resulta em um bom planejamento tributário, tornando a empresa sadia e com possibilidades de romper os cinco anos de existência – período que muitos negócios são desfeitos ou entram em falência.

Em destaque, quatro fatores que a contabilidade favorece uma companhia, seja internamente, na saúde financeira, como externamente, como na tomada de empréstimo. Lembrando que a agilidade acerca das atividades contábeis aumenta expressivamente com o suporte técnico de uma empresa especializada na área.

1 – Tomada de decisão

A contabilidade é um dos instrumentos mais importantes no auxílio à tomada de decisão de uma administração. Isto porque ela coleta todos os dados econômicos de uma empresa, fazendo uma mensuração monetária que torna esses dados um registro que contribui para a tomada de decisões de qualquer empreendedor.

2 – Parecer

Analisando um balanço contábil, os agentes têm condições de tomar conhecimento de quase toda a informação contábil de uma companhia e construir um parecer completo das informações financeiras.

3- Transparência

Os donos de empresas – que não participam diretamente de sua administração – com um parecer da contabilidade conseguem saber quanto o negócio está conseguindo lucrar. Já os administradores podem saber o estado da saúde financeira da empresa e como fazer para melhorá-la.

4 – Crédito

A transparência aqui também é importante, pois bancos e financeiras tendo acesso à saúde financeira de uma empresa, acumulam maior probabilidade de concessão de um empréstimo. Ou seja, empresa como nome limpo na praça é garantia de crédito.

contabilidade do natal

A Contabilidade do Natal

Hoje nós vamos revelar um dos nossos mais queridos cases.

Noel é CEO de uma fábrica de brinquedos importante. Possui mais de 200 elfos como empregados, mas ele mesmo prefere cuidar da logística de entrega de seus produtos.

Com mais de 6 bilhões de clientes, Noel precisa focar na atividade principal de seu negócio, que é a produção dos brinquedos, e não tem tempo para administrar seus negócios como gostaria. Por isso, há mais de 10 anos, a Planned vem cuidando em segredo dos negócios do Natal, a fábrica de presentes de Noel.

Quando Noel nos procurou, relatou diversos problemas internos que seu negócio estava enfrentando, como, por exemplo, uma pilha de cartas de clientes que um elfo novato deixou cair acidentalmente na neve e acabou sendo comida por um rebanho de renas que Noel cria em sua fazenda. Quando dissemos para o chefe dos elfos que iríamos incluir na conta deles o serviço de armazenamento de dados, para eles armazenarem as cópias das cartas e não precisar mais se preocupar em ter um galpão para armazenar papéis, ele pulou de alegria. Tão alto que até alcançou meu joelho.

Mas esse não é o único serviço que a Planned presta para o Natal. Em nossa primeira reunião de análise, Noel expôs um caso sério de fraude de que seus clientes são vítimas e que envolve diretamente sua fábrica. Segundo o próprio Noel:

“Alguns de nossos clientes descobriram que seus pais falsificavam cartas em meu nome por anos! Isso estava fazendo os negócios irem mal porque nossos pedidos estavam caindo.”

A forma que encontramos para ajudar Noel foi fornecendo um Certificado Digital. Agora todas suas cartas possuem uma assinatura digital, fazendo com que seus clientes tenham a certeza de que ele mesmo está respondendo.

“Isso foi fantástico! O problema de fraudes caiu para zero! Agora meus clientes podem ter uma prova de que eu existo.”

A Planned cuida da folha de pagamento de mais de 200 elfos, disponibiliza diretamente no site os impostos e documentos da fábrica de Noel, onde o chefe dos elfos acessa com seu login e senha, além de renovar seu certificado digital e prestar muitos outros serviços para garantir o Natal continue funcionando bem para todos os 6 bilhões de clientes.

contabilidade do natal

Noel, CEO do Natal

Pedimos para Noel, dar um depoimento sobre nossos serviços:

“Eu sei que é preciso administrar os negócios, mas eu preciso de tempo para cuidar da fabricação dos brinquedos e da logística. Poder contar com a Planned para me ajudar a resolver os problemas que eu vinha tendo e ainda me orientar na melhor forma de administrar meu negócio foi a melhor coisa que aconteceu desde quando minhas renas começaram a voar.”

Agora que você leu tudo isso deve estar achando algo estranho. Tá bom, nós vamos te contar. Noel espalhou para todos seus clientes que sua fábrica fica em um lugar isolado no hemisfério norte. Mas isso foi só para despistar a concorrência, pois existem milhares de agentes disfarçados de Noel em shopping-centers e lojas de brinquedo. A verdadeira fábrica fica no sul do Brasil… mas não conte para ninguém! ☺

CLIQUE AQUI E VEJA A VILA DO PAPAI NOEL

Curtiu? Compartilhe!