Comece 2018 com a restituição do seu Imposto de Renda

Primeiramente, você sabe o que é restituição de imposto de renda?

Basicamente, ele constitui-se de valores que devem ser ressarcidos ao cidadão após a declaração quando constatado que já foram pagos valores maiores do que os devidos para a Receita Federal. E isso acontece todo ano após a declaração.

Então, se o contribuinte começar a se planejar, reduzirá as preocupações com erros e possibilitará que se recupere mais dinheiro na restituição.

Normalmente, a restituição é creditada automaticamente na conta do contribuinte, quando esta é informada no momento da declaração. Caso a restituição não ocorra, o contribuinte deve buscá-la pelo site da Receita Federal quando o lote correspondente da restituição sair.

Mas há alguns detalhes que podem te ajudar a aumentar os valores a serem recebidos:

1 – Guardar documentos

 Essa é uma ação simples, pois basta guardar adequadamente os documentos, como por exemplo, despesas médicas, odontológicas, instruções, pensões alimentícias judiciais. .

2- Previdência Privada

O plano de previdência privada pode ser utilizado como, mas é importante deixar claro que isso só ocorre quando é feito no modelo PGBL, em um limite de 12% do valor tributável total, antes de qualquer dedução.

3 – Doação

Essa é pode ser uma forma de utilizar o dinheiro que paga de imposto para ações que trarão benefícios sociais, mas somente para quem faz a declaração completa do Imposto de Renda. O limite é de 6 % do imposto de renda devido é para as destinações aos fundos de direitos da criança e do adolescente, as doações e os patrocínios para projetos enquadrados como incentivo a atividades culturais, artísticas e incentivos a atividades audiovisuais.

4- Empregada doméstica

Quando o contribuinte possui empregada doméstica, é importante registrar, sendo possível lançar os valores pagos ao INSS. Com o valor podendo ser pago diretamente do imposto a pagar.

5- Preenchimento do Rascunho do IR

O rascunho pode ser preenchido por meio de um aplicativo disponibilizado pela IRPF. E isso pode ser feita durante todo o ano e não somente quando abre o período de entrega, assim evita os riscos de cair na malha fina.

6- Dependentes

Muitas vezes não se pensa que pai e mãe, dentre outros casos, podem ser dependentes, podendo abater as despesas com assistência médica.

Este caso deve ser avaliado previamente, sendo que os rendimentos deles serão somados em sua declaração e poderá aumentar a sua faixa de tributação.

 

 

Fonte: Confirp

Imagem: Designed by schantalao / Freepik

5 dúvidas sobre a declaração do imposto de renda

Todo ano as pessoas que receberam ao longo do ano anterior uma determinada quantia de dinheiro necessitam fazer a declaração de imposto de renda. Em relação ao IR 2017, pessoas físicas que receberam mais de R$ 28.559,70 (renda tributável) são obrigadas a declarar os ganhos de 2016. E a mesma coisa para aquelas que passaram dos R$ 40.000 isentos, não tributáveis ou tributados na fonte. Há outras particularidades, mas em suma é isso.

Abaixo 5 dúvidas sobre a declaração do IR 2017:

1 – Deduções possíveis

Muitas pessoas não sabem se há a opção de dedução do imposto de renda em caso de compra de remédios. Infelizmente isso é apenas possível quando os medicamentos integrarem a conta do hospital. Já acerca com gasto em Educação, o limite na hora do declarante deduzir fica na casa dos R$ 3.561,50 para cada um. Apenas titular, dependentes e alimentandos têm direito ao benefício.

2 – É obrigatório declarar se você é sócio de uma empresa?

Essa obrigatoriedade caiu por terra. Apenas sócios com rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70, possuir bens com valor acima de R$ 300 mil ou qualquer outra condição de obrigatoriedade precisam declarar o IR 2017.

3 – Quem pode ser dependente?

Uma das maiores dúvidas é quem pode ser o dependente e há uma série de situações em que isso é possível. Quando um menor pobre até 21 anos que o contribuinte crie e eduque e de quem detenha a guarda judicial. Irmão(ã), neto(a) ou bisneto(a), sem arrimo dos pais, de quem o contribuinte detenha a guarda judicial, até 21 anos, ou em qualquer idade, quando incapacitado física ou mentalmente para o trabalho. A dependência existe também quando pais, avós e bisavós que, em 2016, tenham recebido rendimentos, tributáveis ou não, até R$ 22.847,76. Filho(a) ou enteado(a), se ainda estiverem cursando estabelecimento de ensino superior ou escola técnica de segundo grau, até 24 anos de idade.

Se não estiverem cursando a idade cai para 21 anos. E não tem limite de idade quando as pessoas forem incapacitadas física ou mentalmente para o trabalho. irmão(ã), neto(a) ou bisneto(a), sem arrimo dos pais, com idade de 21 anos até 24 anos, se ainda estiver cursando estabelecimento de ensino superior ou escola técnica de segundo grau, desde que o contribuinte tenha detido sua guarda judicial até os 21 anos, também são contemplados com o benefício, assim como companheiro(a) com quem o contribuinte tenha filho ou viva há mais de 5 anos, ou cônjuge.

4 – Quais modelos preferíveis na hora de declarar o Imposto de Renda?

O contribuinte tem dois modelos para seguir na hora de preencher a declaração do Imposto de Renda: a simplificada e a completa. Mas como saber qual das duas fazem parte do meu perfil econômico. É bem simples. Declarantes com despesas dedutíveis superiores a 20% da renda, preferencialmente, devem optar pelo modelo completo. Caso o contrário, a melhor opção é a simplificada.

5 – Como faço para atualizar o valor de meu imóvel?

Os gastos com reformas no imóvel devem ser documentados com notas fiscais. Só assim é possível atualizar o valor de uma casa ou apartamento.

Certificado Digital agiliza entrega de Imposto de Renda

Se você precisa agilizar a entrega do Imposto de Renda 2017, há uma ferramenta bastante eficaz para isso: o certificado digital. Isto porque, com a ferramenta, existe a possibilidade de baixar a declaração no site da Receita Federal com alguns dados já preenchidos, tendo que realizar apenas os ajustes nas informações e adições de despesas e deduções.

Com o certificado, o contribuinte diminui a chance de cometer falhas na entrega do IR – que tem o prazo encerrado no dia 28 de abril. Usando o certificado e-CPF, no padrão da ICP-Brasil, informações relativas a rendimentos, deduções, bens e direitos e dívidas e ônus reais, já estarão disponibilizadas.

Para obter um certificado digital, é preciso escolher uma Autoridade Certificadora Habilitada. A Planned possui parceria com a Certisign, que é a maior certificadora da América Latina e pode fornecer todos os tipos de certificação a um custo bem acessível e com vantagens extras em relação à concorrência.

Há dois tipos de certificado, o A1 (validade de um ano e fica armazenado direto no computador) e o A3 (alidade de um a três anos e requer um hardware específico para ser armazenado).

É necessário ir nas sedes desses agentes de forma presencial, para validação do processo. O contribuinte tem que estar munido de documentos para ser efetuada a conferência dos dados.

Depois é a parte mais fácil, só esperar o agente de validação fazer todo o procedimento necessário para o contribuinte, se quiser, emitir o certificado na mesma hora.

O certificado digital é obrigatório para contribuintes que tiveram rendimentos superiores a R$ 10 milhões. Ou realizaram pagamentos de rendimentos a pessoas jurídicas, quando constituam dedução na declaração, em que a soma também superou R$ 10 milhões.

Desde o primeiro dia do ano, as empresas optantes pelo regime do Simples com mais de três funcionários também são obrigadas a utilizar o certificado digital para envio de informações trabalhistas, fiscais e previdenciárias ao governo.

Clique aqui para ver planos e vantagens de certificado digital.